www.bigoo.wswww.bigoo.wswww.bigoo.wswww.bigoo.wswww.bigoo.wswww.bigoo.wswww.bigoo.wswww.bigoo.wswww.bigoo.wswww.bigoo.ws




DIA 24 DEZEMBRO PELAS 21H LOCAIS (1h a mais no Continente português e Madeira), MISSA DO GALO, EM DIRECTO DA IGREJA DO MONTE, NA CANDELÁRIA DO PICO. ACOMPANHE-NOS EM www.montetabor.blogs.sapo.pt
Terça-feira, 14 de Abril de 2009

VIGÍLIA PASCAL - SÁBADO SANTO

 

LITURGIA  DA  PALAVRA

 

 

 

ANTIGO TESTAMENTO

 

 

 

Leitura I                                      Gen 1, 1.26-31a

 

 

« Deus viu tudo o que tinha feito: era tudo muito bom.»

 

No princípio, Deus criou o céu e a terra.

Disse Deus: «Façamos o homem à nossa imagem e semelhança.

Domine sobre os peixes do mar, sobre as aves do céu, sobre os animais domésticos, sobre os animais selvagens e sobre todos os répteis que rastejam pela terra».

Deus criou o ser humano à sua imagem, criou-o à imagem de Deus.

Ele o criou homem e mulher.

Deus abençoou-os, dizendo: «Crescei e multiplicai-vos, enchei e dominai a terra.

Dominai sobre os peixes do mar, sobre as aves do céu e sobre todos os animais que se movem na terra».

Disse Deus: «Dou-vos todas as plantas com semente que existem em toda a superfície da terra, assim como todas as árvores de fruto com semente, para que vos sirvam de alimento.

E a todos os animais da terra, a todas as aves do céu e a todos os seres vivos que se movem na terra dou as plantas verdes como alimento».

E assim sucedeu.

Deus viu tudo o que tinha feito: era tudo muito bom.

Veio a tarde e, em seguida, a manhã: foi o sexto dia.

Assim se completaram o céu e a terra e tudo o que eles contêm.

Deus concluiu, no sétimo dia, a obra que fizera e, no sétimo dia, descansou do trabalho que tinha realizado.

 

Palavra do Senhor

 

 

SALMO

103 (104)

 

 

Enviai, Senhor, o vosso Espírito

e renovai a face da terra.

 

Bendiz, ó minha alma, o Senhor.

Senhor, meu Deus, como sois grande!

Revestido de esplendor e majestade,

envolvido em luz como num manto!

 

Fundastes a terra sobre alicerces firmes:

não oscilará por toda a eternidade.

Vós a cobristes com o manto do oceano,

por sobre os montes pousavam as águas.

 

Transformais as fontes em rios

que correm entre as montanhas.

Nas suas margens habitam as aves do céu;

por entre a folhagem fazem ouvir o seu canto.

 

Com a chuva regais os montes,

encheis a terra com o fruto das vossas obras.

Fazeis germinar a erva para o gado

e as plantas para o homem, que tira o pão da terra.

 

Como são grandes as vossas obras!

Tudo fizestes com sabedoria:

a terra está cheia das vossas criaturas.

Glória a Deus para sempre.

 

 

Leitura II                     Gen 22, 1-2.9a.10-13.15-18

 

 

« Na verdade temes a Deus »

 

Naqueles dias, Deus quis pôr à prova Abraão e chamou-o: «Abraão!»

Ele respondeu: «Aqui estou».

Deus disse: «Toma o teu filho, o teu filho único, a quem tanto amas, Isaac, e vai à terra de Moriá, onde o oferecerás em holocausto, num dos montes que Eu te indicar».

Quando chegaram ao local designado por Deus, Abraão levantou um altar e colocou a lenha sobre ele; depois, estendendo a mão, puxou do cutelo para degolar o filho.

Mas o Anjo do Senhor gritou-lhe do alto do Céu: «Abraão, Abraão!»

«Aqui estou, Senhor», respondeu ele.

O Anjo prosseguiu: «Não levantes a mão contra o menino, nem lhe faças mal algum.

Agora sei que na verdade temes a Deus, uma vez que não Me recusaste o teu filho, o teu filho único».

Abraão ergueu os olhos e viu atrás de si um carneiro, preso pelos chifres num silvado.

Foi buscá-lo e ofereceu-o em holocausto, em vez do filho.

O Anjo do Senhor chamou Abraão, do Céu, pela segunda vez, e disse-lhe: «Por Mim próprio te juro - oráculo do Senhor -

já que assim procedeste, e não Me recusaste o teu filho, o teu filho único,

abençoar-te-ei e abençoarei a tua descendência como as estrelas do céu e como a areia que está nas praias do mar, e a tua descendência conquistará as portas das cidades inimigas.

Porque obedeceste à minha voz, na tua descendência serão abençoadas todas as nações da terra».

 

Palavra do Senhor

 

 

SALMO

15 (16)

 

 

Defendei-me, Senhor: Vós sois o meu refúgio.

 

Senhor, porção da minha herança e do meu cálice,

está nas vossas mãos o meu destino.

O Senhor está sempre na minha presença,

com Ele a meu lado não vacilarei.

 

Por isso o meu coração se alegra e a minha alma exulta,

e até o meu corpo descansa tranquilo.

Vós não abandonareis a minha alma

na mansão dos mortos,

nem deixareis o vosso fiel sofrer a corrupção.

 

Dar-me-eis a conhecer os caminhos da vida,

alegria plena em vossa presença,

delícias eternas à vossa direita.

 

 

Leitura III                                   Ex 14, 15-15, 1

 

 

«Os filhos de Israel penetraram no mar a pé enxuto»

 

Naqueles dias, disse o Senhor a Moisés: «Porque estás a bradar por Mim?

Diz aos filhos de Israel que se ponham em marcha.

E tu ergue a tua vara, estende a mão sobre o mar e divide-o, para que os filhos de Israel entrem nele a pé enxuto.

Entretanto, vou permitir que se endureça o coração dos egípcios, que hão-de perseguir os filhos de Israel.

Manifestarei então a minha glória, triunfando do Faraó, de todo o seu exército, dos seus carros e dos seus cavaleiros.

Os egípcios reconhecerão que Eu sou o Senhor, quando Eu manifestar a minha glória, vencendo o Faraó, os seus carros e os seus cavaleiros».

O Anjo de Deus, que seguia à frente do acampamento de Israel, deslocou-se para a retaguarda.

A coluna de nuvem que os precedia veio colocar-se atrás d acampamento e postou-se entre o campo dos egícios e o de Israel.

A nuvem era tenebrosa de um lado e do outro iluminava a noite,

de modo que, durante a noite, não se aproximaram uns dos outros. Moisés estendeu a mão sobre o mar e o Senhor fustigou o mar, durante a noite, com um forte vento de leste.

O mar secou e as águas dividiram-se.

Os filhos de Israel penetraram no mar a pé enxuto, enquanto as águas formavam muralha à direita e à esquerda.

Os egípcios foram atrás deles: todos os cavalos do Faraó, os seus carros e cavaleiros os seguiram pelo mar dentro.

Na vigília da manhã, o Senhor olhou da coluna de fogo e da nuvem para o acampamento dos egípcios e lançou nele a confusão.

Bloqueou as rodas dos carros, que dificilmente se podiam mover.

Então os egípcios disseram: «Fujamos dos israelitas, que o Senhor combate por eles contra os egípcios».

O Senhor disse a Moisés: «Estende a mão sobre o mar e as águas precipitar-se-ão sobre os egípcios, sobre os seus carros e os seus cavaleiros».

Moisés estendeu a mão sobre o mar e, ao romper da manhã, o mar retomou o seu nível normal, quando os egípcios fugiam na sua direcção.

E o Senhor precipitou-os no meio do mar.

As águas refluíram e submergiram os carros, os cavaleiros e todo o exército do Faraó, que tinham entrado no mar, atrás dos filhos de Israel.

Nem um só escapou.

Mas os filhos de Israel tinham andado pelo mar a pé enxuto, enquanto as águas formavam muralha à direita e à esquerda.

Nesse dia, o Senhor salvou Israel das mãos dos egípcios e Israel viu os egípcios mortos nas praias do mar.

Viu também o grande poder que o Senhor exercera contra os egípcios,

e o povo temeu o Senhor, acreditou n’Ele e em seu servo Moisés.

Então Moisés e os filhos de Israel cantaram este hino em honra do Senhor: «Cantemos ao Senhor, que fez brilhar a sua glória, precipitou no mar o cavalo e o cavaleiro».

 

Palavra do Senhor

 

 

SALMO

115 (116)

 

Cantemos ao Senhor, que fez brilhar a sua glória.

 

Cantarei ao Senhor, que fez brilhar a sua glória:

precipitou no mar o cavalo e o cavaleiro.

O Senhor é a minha força e a minha protecção:

a Ele devo a minha liberdade.

 

Ele é o meu Deus: eu O exalto;

Ele é o Deus de meu pai: eu O glorifico.

O Senhor é um guerreiro, Omnipotente é o seu nome;

precipitou no mar os carros do Faraó e o seu exército.

 

Os seus melhores combatentes afogaram-se

no Mar Vermelho,

foram engolidos pelas ondas,

caíram como pedra no abismo.

A vossa mão direita, Senhor, revelou a sua força,

a vossa mão direita, Senhor, destroçou o inimigo.

 

Levareis o vosso povo e o plantareis na vossa montanha,

na morada segura que fizestes, Senhor,

no santuário que vossas mãos construíram.

O Senhor reinará pelos séculos dos séculos.

 

 

 

NOVO TESTAMENTO

 

 

 

Leitura IV                                         Rom 6, 3-11

 

«Cristo, ressuscitado dos mortos, já não pode morrer»

 

 

Irmãos:

Todos nós que fomos baptizados em Jesus Cristo fomos baptizados na sua morte.

Fomos sepultados com Ele pelo Baptismo na sua morte, para que, assim como Cristo ressuscitou dos mortos pela glória do Pai, também nós vivamos uma vida nova.

Se, na verdade, estamos totalmente unidos a Cristo pela semelhança da sua morte, também o estaremos pela semelhança da sua ressurreição.

Bem sabemos que o nosso homem velho foi crucificado com Cristo,

para que fosse destruído o corpo do pecado e não mais fôssemos escravos dele.

Quem morreu, está livre do pecado.

Se morremos com Cristo, acreditamos que também com Ele viveremos,

sabendo que, uma vez ressuscitado dos mortos, Cristo já não pode morrer; a morte já não tem domínio sobre Ele.

Porque na morte que sofreu, Cristo morreu para o pecado de uma vez para sempre; mas a sua vida é uma vida para Deus.

Assim vós também, considerai-vos mortos para o pecado

e vivos para Deus, em Cristo Jesus.

 

Palavra do Senhor

 

 

SALMO

117 (118)

 

Aleluia. Aleluia. Aleluia.

 

Dai graças ao Senhor, porque Ele é bom,

porque é eterna a sua misericórdia.

Diga a casa de Israel:

é eterna a sua misericórdia.

 

A mão do Senhor fez prodígios,

a mão do Senhor foi magnífica.

Não morrerei, mas hei-de viver

para anunciar as obras do Senhor.

 

A pedra que os construtores rejeitaram

tornou-se pedra angular.

Tudo isto veio do Senhor:

é admirável aos nossos olhos.

 

 

 

BOA NOVA DE JESUS                           Mc 16, 1-7

 

«Jesus de Nazaré, o Crucificado, ressuscitou»

 

Depois de passar o sábado, Maria Madalena, Maria, mãe de Tiago, e Salomé compraram aromas para irem embalsamar Jesus.

E no primeiro dia da semana, partindo muito cedo, chegaram ao sepulcro ao nascer do sol.

Diziam umas às outras: «Quem nos irá revolver a pedra da entrada do sepulcro?»

Mas, olhando, viram que a pedra já fora revolvida; e era muito grande.

Entrando no sepulcro, viram um jovem sentado do lado direito,

vestido com uma túnica branca, e ficaram assustadas.

Mas ele disse-lhes: «Não vos assusteis.

Procurais a Jesus de Nazaré, o Crucificado?

Ressuscitou: não está aqui.

Vede o lugar onde O tinham depositado.

Agora ide dizer aos seus discípulos e a Pedro que Ele vai adiante de vós para a Galileia. Lá O vereis, como vos disse».

 

Palavra da salvação

 

 

HOMILIA DE HOJE               Diác. João Ponte

PODCAST (ÁUDIO)

 

 


* às 21:48

Copyright © 2007 XtoPalavra / Todos os direitos reservados

DIOCESE DE ANGRA

Portugal - Açores

 



+Liturgia desta semana

+ Fidelidade ao Evangelho -...

+ A pessoa é o mais importa...

+ SOLENIDADE DE TODOS OS SA...

+ SOLENIDADE DO SANTÍSSIMO ...

+ SANTÍSSIMA TRINDADE - ANO...

+ O MESSIAS - 6ª feira IX T...

   

Facebook   MySpace     Twitter

 

     

You Tube   Newsletter     CEP

 

    

    Hi5      Messenger   Picassa

 

         

  Ajuda          RSS      Rádio XTO



<p style="text-align: center"><img style="border-left-color: black; border-bottom-color: black; width: 127px; border-top-color: black; height: 52px; border-right-color: black" height="58" width="159" border="0" alt="" src="http://fotos.sapo.pt:80/30u74ZmEU3rEKLHpw4Gu/s320x240" /></p>

3D Imenu in blue Preview





Recebemos este

presente, recomendado

por Ecclesia Dei.

Obrigado João,

Deus lhe abençõe!